Distâncias do Olhar e da Câmera no Cinema

e nos Quadrinhos

Por Sandro Massarani As principais técnicas visuais de narrativa já foram sendo desenvolvidas desde o estabelecimento do cinema como mídia no final do século XIX e início do século XX. Inovadores como D.W. Griffith vão se apropriar dos métodos dos escritores literários clássicos para poder estabelecer de maneira convincente o ambiente em uma obra cinematográfica. Griffith e outros revolucionários vão popularizar a técnica de primeiro mostrar uma tomada de longa distância, introduzindo o lugar, depois passar para uma tomada de média distância, introduzindo o interior do local e personagens, e depois usar tomadas de curta distância para aumentar o efeito dramático. Três tomadas distintas que formam uma narrativa contínua e situa o espectador na obra. Tanto no cinema quanto nos quadrinhos, o roteirista tem que saber dominar as técnicas de posicionamento e ângulo do olhar para contar a história de uma maneira eficaz, satisfazendo a audiência. É sempre bom lembrar que o roteirista, principalmente no cinema, não deve ficar sempre escolhendo os ângulos e dando ordens ao diretor (ou ao desenhista nos quadrinhos), mas ele precisa ter esse conhecimento para melhor construir e imaginar a obra. Abaixo descrevo seis diferentes distâncias que a câmera ou o olhar no cinema e nos quadrinhos podem nos fornecer. Logicamente, a classificação dessas distâncias vai variar de acordo com o pesquisador, mas o importante é termos a noção de que o posicionamento desses olhares tem funções dramáticas próprias. Para cada distância forneço um exemplo retirado dos quadrinhos e outro dos filmes. 1. Extreme Long Shot  (Tomada de Extrema Longa Distância) ou Bird's Eye View (Visão de Pássaro) B.P.R.D The Universal Machine (2006) - Mike Mignola e John Arcudi Blade Runner (1982) - Riddley Scott Esse é o tipo de olhar mais distante e mostra toda ou a maior parte do ambiente através de uma visão longínqua, ideal para grandes paisagens e para a introdução de grandes locais, mostrando muitas vezes cidades inteiras. Muito utilizado quando a atmosfera e o clima de um ambiente é essencial para o entendimento do conjunto da obra ou há uma mudança muito radical de localidade, geralmente criando imagens marcantes. Se esse não for o caso, use-o moderadamente. 2. Long Shot (Tomada de Longa Distância) ou Wide Shot (Tomada Aberta) Transmetropolitan 9 (1998) - Warren Ellis e Darick Robertson The Third Man (1949) - O Terceiro Homem - Carol Reed A Long Shot mostra parte considerável do ambiente. Também usado para introduzir e estabelecer um novo local, mas não de maneira tão distante quanto o Extreme Long Shot. Utilizada com frequência quando o filme necessita criar uma atmosfera bem peculiar. É bom notarmos que a diferença entre Extreme Long Shot e Long Shot é difícil de ser medida, havendo um largo espaço intermediário que pode ser classificado em ambos os olhares. 3. Medium Long Shot (Tomada de Média Longa Distância) Contract with God (1978) - Will Eisner Schindler's List (1993) - A Lista de Schindler -  Steven Spielberg Existem muitas divergências em relação a linha que separa um Long Shot de um Medium Shot. Por isso, alguns estudiosos estabeleceram a categoria de Medium Long Shot, que se não chega a mostrar um ambiente de forma distante, também não se aproxima muito de determinados objetos, geralmente mostrando o corpo todo de um indivíduo a confortável distância. Muitas cenas, principalmente em ambientes já visitados anteriormente, se iniciam já em Medium Long Shot. 4. Medium Shot (Tomada de Média Distância) Maus (1991) - Art Spielgman Cet Obscur Objet du Désir (1977) - Este Obscuro Objeto do Desejo - 1977 - Luís Buñuel Esse tipo de distância geralmente mostra as pessoas do joelho para cima, valorizando o movimento corporal, mas em contrapartida não sendo muito eficaz para retratar as expressões faciais. É o olhar mais utilizado para mostrar diálogos. 5. Close-Up Green Lantern 76 (1970) - Denny O'Neal e Neal Adams Annie Hall (1977) - Noivo Neurótico, Noiva Nervosa - Woody Allen Um Close-Up tradicional aproxima a câmera de uma pessoa ou objeto, geralmente mostrando somente os ombros e a cabeça de um personagem. Quanto mais próximo o olhar está de um personagem, maior é a tendência da audiência obter simpatia por ele. Isto por que o Close-Up nos fornece uma proximidade física com este personagem, invadindo seu espaço íntimo. O Close-Up também pode ser utilizado para evocar medo ou repulsa se utilizado em um personagem  já estabelecido como antagonista. Nesse caso a audiência vai querer escapar do Close-Up. 6. Extreme Close-Up (Close-Up Extremo) Sandman 23 (1991) - Neil Gaiman, Kelley Jones e Malcom Jones III Citizen Kane (1941) - Cidadão Kane - Orson Welles Um Extreme Close-Up  filma partes bem específicas de uma pessoa ou objeto, como somente os lábios ou a orelha. Esse olhar nos mostra objetos e pessoas de formas diferentes da que estamos acostumados a vê-las. Geralmente fornece um forte efeito dramático, como por exemplo quando filma-se o cano de um revólver atirando. *** Passe a analisar essas distâncias e olhares distintos nas revistas em quadrinhos e nos filmes, percebendo que cada uma delas provoca um efeito narrativo diferente. O que vimos aqui foi apenas o básico, e partindo desse básico, o estudante pode depois aprender mais facilmente diversas variantes técnicas como a inclinação do olhar, a rotação da imagem, entre outras. Bons estudos!
tópicos sobre narrativa, roteiros e mundos virtuais
Além do Cotidiano
Além do Cotidiano
tópicos sobre narrativa, roteiros e mundos virtuais

Distâncias do Olhar e da Câmera no

Cinema e nos Quadrinhos

Por Sandro Massarani As principais técnicas visuais de narrativa já foram sendo desenvolvidas desde o estabelecimento do cinema como mídia no final do século XIX e início do século XX. Inovadores como D.W. Griffith vão se apropriar dos métodos dos escritores literários clássicos para poder estabelecer de maneira convincente o ambiente em uma obra cinematográfica. Griffith e outros revolucionários vão popularizar a técnica de primeiro mostrar uma tomada de longa distância, introduzindo o lugar, depois passar para uma tomada de média distância, introduzindo o interior do local e personagens, e depois usar tomadas de curta distância para aumentar o efeito dramático. Três tomadas distintas que formam uma narrativa contínua e situa o espectador na obra. Tanto no cinema quanto nos quadrinhos, o roteirista tem que saber dominar as técnicas de posicionamento e ângulo do olhar para contar a história de uma maneira eficaz, satisfazendo a audiência. É sempre bom lembrar que o roteirista, principalmente no cinema, não deve ficar sempre escolhendo os ângulos e dando ordens ao diretor (ou ao desenhista nos quadrinhos), mas ele precisa ter esse conhecimento para melhor construir e imaginar a obra. Abaixo descrevo seis diferentes distâncias que a câmera ou o olhar no cinema e nos quadrinhos podem nos fornecer. Logicamente, a classificação dessas distâncias vai variar de acordo com o pesquisador, mas o importante é termos a noção de que o posicionamento desses olhares tem funções dramáticas próprias. Para cada distância forneço um exemplo retirado dos quadrinhos e outro dos filmes. 1. Extreme Long Shot  (Tomada de Extrema Longa Distância) ou Bird's Eye View (Visão de Pássaro) B.P.R.D The Universal Machine (2006) - Mike Mignola e John Arcudi Blade Runner (1982) - Riddley Scott Esse é o tipo de olhar mais distante e mostra toda ou a maior parte do ambiente através de uma visão longínqua, ideal para grandes paisagens e para a introdução de grandes locais, mostrando muitas vezes cidades inteiras. Muito utilizado quando a atmosfera e o clima de um ambiente é essencial para o entendimento do conjunto da obra ou há uma mudança muito radical de localidade, geralmente criando imagens marcantes. Se esse não for o caso, use-o moderadamente. 2. Long Shot (Tomada de Longa Distância) ou Wide Shot (Tomada Aberta) Transmetropolitan 9 (1998) - Warren Ellis e Darick Robertson The Third Man (1949) - O Terceiro Homem - Carol Reed A Long Shot mostra parte considerável do ambiente. Também usado para introduzir e estabelecer um novo local, mas não de maneira tão distante quanto o Extreme Long Shot. Utilizada com frequência quando o filme necessita criar uma atmosfera bem peculiar. É bom notarmos que a diferença entre Extreme Long Shot e Long Shot é difícil de ser medida, havendo um largo espaço intermediário que pode ser classificado em ambos os olhares. 3. Medium Long Shot (Tomada de Média Longa Distância) Contract with God (1978) - Will Eisner Schindler's List (1993) - A Lista de Schindler -  Steven Spielberg Existem muitas divergências em relação a linha que separa um Long Shot de um Medium Shot. Por isso, alguns estudiosos estabeleceram a categoria de Medium Long Shot, que se não chega a mostrar um ambiente de forma distante, também não se aproxima muito de determinados objetos, geralmente mostrando o corpo todo de um indivíduo a confortável distância. Muitas cenas, principalmente em ambientes já visitados anteriormente, se iniciam já em Medium Long Shot. 4. Medium Shot (Tomada de Média Distância) Maus (1991) - Art Spielgman Cet Obscur Objet du Désir (1977) - Este Obscuro Objeto do Desejo - 1977 - Luís Buñuel Esse tipo de distância geralmente mostra as pessoas do joelho para cima, valorizando o movimento corporal, mas em contrapartida não sendo muito eficaz para retratar as expressões faciais. É o olhar mais utilizado para mostrar diálogos. 5. Close-Up Green Lantern 76 (1970) - Denny O'Neal e Neal Adams Annie Hall (1977) - Noivo Neurótico, Noiva Nervosa - Woody Allen Um Close-Up tradicional aproxima a câmera de uma pessoa ou objeto, geralmente mostrando somente os ombros e a cabeça de um personagem. Quanto mais próximo o olhar está de um personagem, maior é a tendência da audiência obter simpatia por ele. Isto por que o Close-Up nos fornece uma proximidade física com este personagem, invadindo seu espaço íntimo. O Close-Up também pode ser utilizado para evocar medo ou repulsa se utilizado em um personagem  já estabelecido como antagonista. Nesse caso a audiência vai querer escapar do Close-Up. 6. Extreme Close-Up (Close-Up Extremo) Sandman 23 (1991) - Neil Gaiman, Kelley Jones e Malcom Jones III Citizen Kane (1941) - Cidadão Kane - Orson Welles Um Extreme Close-Up  filma partes bem específicas de uma pessoa ou objeto, como somente os lábios ou a orelha. Esse olhar nos mostra objetos e pessoas de formas diferentes da que estamos acostumados a vê-las. Geralmente fornece um forte efeito dramático, como por exemplo quando filma-se o cano de um revólver atirando. *** Passe a analisar essas distâncias e olhares distintos nas revistas em quadrinhos e nos filmes, percebendo que cada uma delas provoca um efeito narrativo diferente. O que vimos aqui foi apenas o básico, e partindo desse básico, o estudante pode depois aprender mais facilmente diversas variantes técnicas como a inclinação do olhar, a rotação da imagem, entre outras. Bons estudos!