Criando Personagens Incomuns

Por Sandro Massarani Muitas vezes os problemas de uma história não estão em sua estrutura, se ela foi bem construída, mas sim nos seus personagens. Se os personagens são vazios, estáticos e não provocam a simpatia e a empatia com o leitor/espectador, a história acaba se tornando quase insuportável. Criar um personagem sólido e com potencial não é algo simples, e requer muita observação por parte do autor. Existem inúmeras maneiras de dar vida ao seu personagem , e uma delas é a de fazer com que ele apresente alguns traços incomuns em relação aos costumes da sociedade. Um personagem incomum, se for bem construído, pode ser o passo inicial para um personagem memorável. Existe um método bem fácil de criação de personagens incomuns. A autora Melanie Anne Philips  chamou este processo, largamente utilizado por diversos escritores, de "Mix and Match", ou seja: Misturar e Combinar. Basicamente o que temos que fazer é pegar alguns personagens corriqueiros e listá-los ao lado de seus principais traços físicos e/ou mentais. Vamos utilizar três personagens de exemplo e com poucas características para melhor entendimento. Melissa, 16 anos, Estudante, Romântica Claudio, 70 anos, Mendigo, Medroso Sherlock, 35 anos, Detetive, Gênio Bem, temos três personagens comuns com nome, idade, profissão e um traço de personalidade. Logicamente para um personagem ser crível ele precisa ter diversos traços, mas aqui estamos apenas utilizando-os como exemplo. Agora começa o trabalho. É só trocarmos algumas características entre os personagens para percebermos que eles se tornam mais interessantes. Por Exemplo: Melissa, 16 anos, Detetive, Romântica. Agora ao invés de termos uma menina estudante, temos uma menina detetive. Como isso é incomum em nossa sociedade, automaticamente cria um interesse em torno do personagem. Se o autor saberá explorar bem isso já é uma outra história. Os japoneses usam muito bem jovens incomuns em suas histórias. Claudio, 70 anos, Mendigo, Gênio. Temos agora um mendigo que é um gênio, e que possa ter tido um passado misterioso, provavelmente de decadência, que o atirou no mundo cruel das ruas . Quem sabe um gênio de xadrez que enlouqueceu ao fazer uma aposta infeliz e agora vive se torturando. André, 70 anos, Estudante, Romântico. E agora? Podemos ter um senhor que decide voltar a estudar pois seu sonho sempre foi escrever poemas, e agora quer perseguir o desejo de sua vida. Pode ser um personagem  excelente para um conto. Às vezes basta mudarmos o sexo ou a idade que já faz uma diferença brutal. A Tenente Ripley (Sigourney Weaver) na série de filmes Alien é um excelente parâmetro. Se o personagem principal fosse um homem, a fascinação com a história com certeza teria um impacto menor. Milhares de personagens já foram criados e até os mais incomuns podem por vezes soar comuns, como um Detetive Medroso, um tipo já bastante explorado. Mas não deixe isso diminuir o seu ânimo, pois a habilidade do escritor sempre supera esses obstáculos. Não deixe de fazer exercícios, observando pessoas reais ou fictícias que você conhece e mudando uma ou outra característica. Bons estudos!
tópicos sobre narrativa, roteiros e mundos virtuais
Além do Cotidiano
Além do Cotidiano
tópicos sobre narrativa, roteiros e mundos virtuais

Criando Personagens Incomuns

Por Sandro Massarani Muitas vezes os problemas de uma história não estão em sua estrutura, se ela foi bem construída, mas sim nos seus personagens. Se os personagens são vazios, estáticos e não provocam a simpatia e a empatia com o leitor/espectador, a história acaba se tornando quase insuportável. Criar um personagem sólido e com potencial não é algo simples, e requer muita observação por parte do autor. Existem inúmeras maneiras de dar vida ao seu personagem , e uma delas é a de fazer com que ele apresente alguns traços incomuns em relação aos costumes da sociedade. Um personagem incomum, se for bem construído, pode ser o passo inicial para um personagem memorável. Existe um método bem fácil de criação de personagens incomuns. A autora Melanie Anne Philips  chamou este processo, largamente utilizado por diversos escritores, de "Mix and Match", ou seja: Misturar e Combinar. Basicamente o que temos que fazer é pegar alguns personagens corriqueiros e listá-los ao lado de seus principais traços físicos e/ou mentais. Vamos utilizar três personagens de exemplo e com poucas características para melhor entendimento. Melissa, 16 anos, Estudante, Romântica Claudio, 70 anos, Mendigo, Medroso Sherlock, 35 anos, Detetive, Gênio Bem, temos três personagens comuns com nome, idade, profissão e um traço de personalidade. Logicamente para um personagem ser crível ele precisa ter diversos traços, mas aqui estamos apenas utilizando-os como exemplo. Agora começa o trabalho. É só trocarmos algumas características entre os personagens para percebermos que eles se tornam mais interessantes. Por Exemplo: Melissa, 16 anos, Detetive, Romântica. Agora ao invés de termos uma menina estudante, temos uma menina detetive. Como isso é incomum em nossa sociedade, automaticamente cria um interesse em torno do personagem. Se o autor saberá explorar bem isso já é uma outra história. Os japoneses usam muito bem jovens incomuns em suas histórias. Claudio, 70 anos, Mendigo, Gênio. Temos agora um mendigo que é um gênio, e que possa ter tido um passado misterioso, provavelmente de decadência, que o atirou no mundo cruel das ruas . Quem sabe um gênio de xadrez que enlouqueceu ao fazer uma aposta infeliz e agora vive se torturando. André, 70 anos, Estudante, Romântico. E agora? Podemos ter um senhor que decide voltar a estudar pois seu sonho sempre foi escrever poemas, e agora quer perseguir o desejo de sua vida. Pode ser um personagem  excelente para um conto. Às vezes basta mudarmos o sexo ou a idade que já faz uma diferença brutal. A Tenente Ripley (Sigourney Weaver) na série de filmes Alien é um excelente parâmetro. Se o personagem principal fosse um homem, a fascinação com a história com certeza teria um impacto menor. Milhares de personagens já foram criados e até os mais incomuns podem por vezes soar comuns, como um Detetive Medroso, um tipo já bastante explorado. Mas não deixe isso diminuir o seu ânimo, pois a habilidade do escritor sempre supera esses obstáculos. Não deixe de fazer exercícios, observando pessoas reais ou fictícias que você conhece e mudando uma ou outra característica. Bons estudos!