Pac-Man

O Início dos Superstars Digitais

Por Sandro Massarani Plataforma Original: Arcade Ano: 1980 Criado por: Namco (Toru Iwatani) O enorme sucesso de Space Invaders foi apenas um aquecimento do que estava por vir. Suas vendas prepararam o terreno para algo muito maior, e os japoneses novamente revolucionariam a indústria dos videogames ao criarem um verdadeiro ícone cultural que permanece praticamente intacto até hoje: Pac- Man. Após ter sérios problemas com a Atari por causa da distribuição de Breakout no Japão, a Namco resolveu criar então seus próprios jogos. Toru Iwatani, um jovem engenheiro, criaria entre 1978 e 1979 três videogames misturando pinball, sua paixão, com Breakout: Bee Gee, Bomb Gee e Cutie Q. A empresa ainda lançaria também em 1979 um grande clássico dos jogos de nave, Galaxian, tornando-se uma importante força no meio. Iwatani já havia introduzido em Cutie-Q personagens coloridos e bem animados, elementos que ele esperava que pudessem atrair não só jovens do sexo masculino, mas também um público mais diversificado, como mulheres e idosos. Os espaços de diversão eletrônica tanto no Japão quanto nos Estados Unidos eram dominados por homens, sendo a presença feminina bem limitada. Para o seu próximo jogo, Iwatani resolveu arriscar mais para satisfazer uma audiência ainda maior. Sabendo que jogos de tiro ou de corrida não atingiriam seu objetivo, resolveu fazer seu programa baseado em algo que as mulheres adoram: comer. A história tradicional conta que após pedir uma pizza inteira para o almoço e tirar uma fatia, lá estava na frente de Iwatani a figura imortal do Pac-Man (derivado do japonês paku-paku, que significa o movimento de abrir e fechar a boca ao comer). Não há como confirmar a validade desse fato, já que o próprio Iwatani a afirma em algumas entrevistas e a desmente em outras, mas não deixa mesmo assim de ser fascinante. O jogo criado é de uma filosofia simples e direta, como a maioria dos jogos de arcades, se resumindo a um labirinto, onde o jogador, controlando o Pac-Man, deveria comer todos os 240 pontinhos mostrados na tela ao mesmo tempo que evita inimigos que o perseguem. Dentro do labirinto também temos quatro pílulas especiais, que ao serem comidas, permitem que o Pac-Man possa devorar, por um certo período seus oponentes, representados por quatro fantasminhas nada assutadores, mas tão importantes e carismáticos quanto o personagem principal. Além de revolucionar a indústria consolidando os jogos de labirinto , que logo se tornariam muito comuns, Pac-Man foi o primeiro jogo a usar de forma eficaz a cinemática como modo de intensificar a experiência do jogador. A introdução do jogo apresenta os fantasmas, inclusive nomeando-os, e no intervalo de algumas fases temos pequenas sequências de humor como um gigante Pac- Man perseguindo um assustado fantasma.    Pac-Man foi colocado para vendas no mercado japonês em julho de 1980, sendo distribuído nos Estados Unidos logo depois pela Midway. O nome original do jogo no Japão é Puck-Man, tendo sido alterado nos Estados Unidos para Pac-Man  devido a semelhança de puck com fuck, um palavrão muito comum para os americanos. Ao atrair praticamente toda a juventude, sem distinção de gênero, Pac-Man  adquiriu uma popularidade fora dos padrões normais, chegando inclusive a ser capa de dezenas de revistas (destacando a Time americana), tornando-se desenho animado e gerando inúmeros outros produtos. Com certeza é o primeiro personagem a inaugurar uma franquia e se tornar uma espécie de "mascote" de uma empresa de videogame. Em 1982, no auge da chamada Pac- Mania, os músicos Jerry Buckner e Gary Garcia lançam um single com a música Pac-Man Fever, característica dos anos 80,  misturando a batida típica do período com sons de teclado e dos efeitos do jogo. Pac-Man Fever faz parte do álbum homônimo que contém músicas baseadas nos videogames da época, como Frogger, Defender, Centipede e Donkey Kong. O single alcançou a impressionante nona posição na lista da Billboard vendendo quase duas milhões de cópias. Parece que a pessoa que menos lucrou financeiramente com Pac-Man foi seu próprio criador. Iwatani recebeu por fazer um dos maiores personagens de todos os tempos o mísero bônus de US$3,500. Caso típico da rígida estrutura disciplinar japonesa. Mais de 100.000 máquinas de Pac-Man foram vendidas somente nos Estados Unidos. Não devemos nos esquecer de que o custo de uma máquina de fliperama é muito maior que o custo de produção de um jogo destinado aos consoles caseiros, portanto sua venda é muito mais difícil. Com a mega febre dos videogames iniciada por Space Invaders e Pac-Man, muitas máquinas vão se instalar nos locais mais inusitados, como na sala de espera de consultórios médicos, farmácias, hotéis, lojas de doces. Muitos pequenos empresários vão inclusive se desfazer de suas antigas atividades para abrirem lojas de arcades, aproveitando a popularidade desses jogos. Nesta época, no início dos anos de 1980, as máquinas de maior sucesso conseguem dar retorno aos seus compradores já após os primeiros dois meses, o que é muito raro no meio econômico, significando altos lucros. Em 3 de julho de 1999, a celebridade dos games Billy Mitchell conseguiu a façanha de ser o primeiro jogador a fazer uma partida perfeita de Pac-Man. Após 6 horas, 256 fases e sem perder nenhuma vida, a pontuação de 3.336.330 foi alcançada. O último labirinto divide a tela, onde em uma metade o jogo continua visível e na outra temos diversos caracteres e "lixo" visual, impossibilitando a continuação da partida. Mitchell ofereceu US$100.000 para quem provasse que fase 256 não é a última. A proposta ainda está de pé. A franquia Pac-Man vem produzindo jogos até hoje, na maioria fracos e irregulares, porém dois merecem grande destaque. Uma dupla de estudantes do tradicional Massachussets Institute of Technology (MIT), Doug Macrae e Kevin Curran se especializaram em expandir as placas contidas dentro dos gabinetes dos arcades. Após alterarem Missile Command, sendo inclusive processados pela Atari, os hackers acertaram com a Bally (empresa que havia comprado a Midway) a produção de uma sequência de Pac- Man, que nada mais seria que um upgrade a ser colocado na placa original. Após testarem um Pac-Man com pernas, Macrae e Curran optaram por uma personagem feminina, e nascia em 1981 Ms. Pac-Man. Contendo quatro labirintos diferentes e uma jogabilidade mais rápida, Ms. Pac-Man se tornaria a máquina de arcade mais vendida na história dos Estados Unidos. Sendo uma febre mundial nos fliperamas, nada mais natural que uma versão caseira de Pac-Man fosse criada. A Atari conseguiu obter uma licença exclusiva da Namco para  produção de Pac-Man para consoles domésticos, formando o que seria uma dupla imbatível, juntando o jogo de maior sucesso com o console mais vendido (Atari VCS). Só que o sonho virou pesadelo. Os diretores da Atari pressionaram Tod Frye a terminar a conversão a tempo do jogo ser lançado no natal de 1981. Frye por sua vez exigiu que fosse pago em royalties, algo inédito em videogames. Como diversos programadores de peso estavam deixando a Atari para formarem outras empresas como a Activision, Frye teve sua proposta aceita. Com uma estratégia de marketing agressiva por trás, foram produzidos mais de 12 milhões de cartuchos de Pac-Man. Porém, o jogo acabou sendo uma grande decepção. Não que fosse de todo ruim, mas pouco lembrava o original, o Pac-Man não é nem de longe tão simpático quanto o do arcade e há a ocorrência constantes de intensos flickers (piscadas) nos fantasmas. Frye ficou milionário e provocou uma séria revolta dentro da Atari, com conflitos entre ele e outros empregados. O erro generalizado acabaria custando caro, pois a versão de Pac-Man para o VCS, assim como a manutenção dos mesmos problemas na criação de E.T e a proliferação de jogos abaixo da crítica como o infâme Custer's Revenge provocariam o colapso do mercado de videogames norte-americano em 1983-84. Antecedentes: - Nenhum Influenciou: - Lady Bug - Mousetrap - Ms. Pac-Man. - Todo jogo de labirinto. Por que é revolucionário? - Primeiro personagem “Superstar” dos videogames. - Primeira franquia de sucesso, produzindo desde desenhos animados até cereais matinais. - Responsável pela criação dos primeiros guias de estratégia para videogames. - Consolidou o gênero Labirinto (Maze). - Introduziu sólidos elementos cinemáticos e narrativos.
tópicos sobre narrativa, roteiros e mundos virtuais
Além do Cotidiano
Toru Iwatani e sua pizza pac-man
A misteriosa fase 256
Pac-Man é importantíssimo pois acrescentou elementos narrativos aos videogames,  como nomes aos personagens e cut-scenes.
A polêmica versão do Atari VCS (2600). Reparem que devido aos flickers apenas um fantasma apareceu quando eu capturei a tela.
Além do Cotidiano
tópicos sobre narrativa, roteiros e mundos virtuais

Pac-Man

O Início dos Superstars Digitais

Por Sandro Massarani Plataforma Original: Arcade Ano: 1980 Criado por: Namco (Toru Iwatani) O enorme sucesso de Space Invaders foi apenas um aquecimento do que estava por vir. Suas vendas prepararam o terreno para algo muito maior, e os japoneses novamente revolucionariam a indústria dos videogames ao criarem um verdadeiro ícone cultural que permanece praticamente intacto até hoje: Pac-Man. Após ter sérios problemas com a Atari por causa da distribuição de Breakout no Japão, a Namco resolveu criar então seus próprios jogos. Toru Iwatani, um jovem engenheiro, criaria entre 1978 e 1979 três videogames misturando pinball, sua paixão, com Breakout: Bee Gee, Bomb Gee e Cutie Q. A empresa ainda lançaria também em 1979 um grande clássico dos jogos de nave, Galaxian, tornando-se uma importante força no meio. Iwatani já havia introduzido em Cutie-Q personagens coloridos e bem animados, elementos que ele esperava que pudessem atrair não só jovens do sexo masculino, mas também um público mais diversificado, como mulheres e idosos. Os espaços de diversão eletrônica tanto no Japão quanto nos Estados Unidos eram dominados por homens, sendo a presença feminina bem limitada. Para o seu próximo jogo, Iwatani resolveu arriscar mais para satisfazer uma audiência ainda maior. Sabendo que jogos de tiro ou de corrida não atingiriam seu objetivo, resolveu fazer seu programa baseado em algo que as mulheres adoram: comer. A história tradicional conta que após pedir uma pizza inteira para o almoço e tirar uma fatia, lá estava na frente de Iwatani a figura imortal do Pac-Man (derivado do japonês paku-paku, que significa o movimento de abrir e fechar a boca ao comer). Não há como confirmar a validade desse fato, já que o próprio Iwatani a afirma em algumas entrevistas e a desmente em outras, mas não deixa mesmo assim de ser fascinante. O jogo criado é de uma filosofia simples e direta, como a maioria dos jogos de arcades, se resumindo a um labirinto, onde o jogador, controlando o Pac-Man, deveria comer todos os 240 pontinhos mostrados na tela ao mesmo tempo que evita inimigos que o perseguem. Dentro do labirinto também temos quatro pílulas especiais, que ao serem comidas, permitem que o Pac-Man possa devorar, por um certo período seus oponentes, representados por quatro fantasminhas nada assutadores, mas tão importantes e carismáticos quanto o personagem principal. Além de revolucionar a indústria consolidando os jogos de labirinto , que logo se tornariam muito comuns, Pac-Man foi o primeiro jogo a usar de forma eficaz a cinemática como modo de intensificar a experiência do jogador. A introdução do jogo apresenta os fantasmas, inclusive nomeando-os, e no intervalo de algumas fases temos pequenas sequências de humor como um gigante Pac-Man perseguindo um assustado fantasma.    Pac-Man foi colocado para vendas no mercado japonês em julho de 1980, sendo distribuído nos Estados Unidos logo depois pela Midway. O nome original do jogo no Japão é Puck-Man, tendo sido alterado nos Estados Unidos para Pac-Man devido a semelhança de puck com fuck, um palavrão muito comum para os americanos. Ao atrair praticamente toda a juventude, sem distinção de gênero, Pac-Man adquiriu uma popularidade fora dos padrões normais, chegando inclusive a ser capa de dezenas de revistas (destacando a Time americana), tornando-se desenho animado e gerando inúmeros outros produtos. Com certeza é o primeiro personagem a inaugurar uma franquia e se tornar uma espécie de "mascote" de uma empresa de videogame. Em 1982, no auge da chamada Pac-Mania, os músicos Jerry Buckner e Gary Garcia lançam um single com a música Pac-Man Fever, característica dos anos 80,  misturando a batida típica do período com sons de teclado e dos efeitos do jogo. Pac-Man Fever faz parte do álbum homônimo que contém músicas baseadas nos videogames da época, como Frogger, Defender, Centipede e Donkey Kong. O single alcançou a impressionante nona posição na lista da Billboard vendendo quase duas milhões de cópias. Parece que a pessoa que menos lucrou financeiramente com Pac-Man foi seu próprio criador. Iwatani recebeu por fazer um dos maiores personagens de todos os tempos o mísero bônus de US$3,500. Caso típico da rígida estrutura disciplinar japonesa. Mais de 100.000 máquinas de Pac-Man foram vendidas somente nos Estados Unidos. Não devemos nos esquecer de que o custo de uma máquina de fliperama é muito maior que o custo de produção de um jogo destinado aos consoles caseiros, portanto sua venda é muito mais difícil. Com a mega febre dos videogames iniciada por Space Invaders e Pac-Man, muitas máquinas vão se instalar nos locais mais inusitados, como na sala de espera de consultórios médicos, farmácias, hotéis, lojas de doces. Muitos pequenos empresários vão inclusive se desfazer de suas antigas atividades para abrirem lojas de arcades, aproveitando a popularidade desses jogos. Nesta época, no início dos anos de 1980, as máquinas de maior sucesso conseguem dar retorno aos seus compradores já após os primeiros dois meses, o que é muito raro no meio econômico, significando altos lucros. Em 3 de julho de 1999, a celebridade dos games Billy Mitchell conseguiu a façanha de ser o primeiro jogador a fazer uma partida perfeita de Pac-Man. Após 6 horas, 256 fases e sem perder nenhuma vida, a pontuação de 3.336.330 foi alcançada. O último labirinto divide a tela, onde em uma metade o jogo continua visível e na outra temos diversos caracteres e "lixo" visual, impossibilitando a continuação da partida. Mitchell ofereceu US$100.000 para quem provasse que fase 256 não é a última. A proposta ainda está de pé. A franquia Pac-Man vem produzindo jogos até hoje, na maioria fracos e irregulares, porém dois merecem grande destaque. Uma dupla de estudantes do tradicional Massachussets Institute of Technology (MIT), Doug Macrae e Kevin Curran se especializaram em expandir as placas contidas dentro dos gabinetes dos arcades. Após alterarem Missile Command, sendo inclusive processados pela Atari, os hackers acertaram com a Bally (empresa que havia comprado a Midway) a produção de uma sequência de Pac-Man, que nada mais seria que um upgrade a ser colocado na placa original. Após testarem um Pac-Man com pernas, Macrae e Curran optaram por uma personagem feminina, e nascia em 1981 Ms. Pac-Man. Contendo quatro labirintos diferentes e uma jogabilidade mais rápida, Ms. Pac-Man se tornaria a máquina de arcade mais vendida na história dos Estados Unidos. Sendo uma febre mundial nos fliperamas, nada mais natural que uma versão caseira de Pac-Man fosse criada. A Atari conseguiu obter uma licença exclusiva da Namco para  produção de Pac-Man para consoles domésticos, formando o que seria uma dupla imbatível, juntando o jogo de maior sucesso com o console mais vendido (Atari VCS). Só que o sonho virou pesadelo. Os diretores da Atari pressionaram Tod Frye a terminar a conversão a tempo do jogo ser lançado no natal de 1981. Frye por sua vez exigiu que fosse pago em royalties, algo inédito em videogames. Como diversos programadores de peso estavam deixando a Atari para formarem outras empresas como a Activision, Frye teve sua proposta aceita. Com uma estratégia de marketing agressiva por trás, foram produzidos mais de 12 milhões de cartuchos de Pac-Man. Porém, o jogo acabou sendo uma grande decepção. Não que fosse de todo ruim, mas pouco lembrava o original, o Pac-Man não é nem de longe tão simpático quanto o do arcade e há a ocorrência constantes de intensos flickers (piscadas) nos fantasmas. Frye ficou milionário e provocou uma séria revolta dentro da Atari, com conflitos entre ele e outros empregados. O erro generalizado acabaria custando caro, pois a versão de Pac-Man para o VCS, assim como a manutenção dos mesmos problemas na criação de E.T e a proliferação de jogos abaixo da crítica como o infâme Custer's Revenge provocariam o colapso do mercado de videogames norte-americano em 1983-84. Antecedentes: - Nenhum Influenciou: - Lady Bug - Mousetrap - Ms. Pac-Man. - Todo jogo de labirinto. Por que é revolucionário? - Primeiro personagem “Superstar” dos videogames. - Primeira franquia de sucesso, produzindo desde desenhos animados até cereais matinais. - Responsável pela criação dos primeiros guias de estratégia para videogames. - Consolidou o gênero Labirinto (Maze). - Introduziu sólidos elementos cinemáticos e narrativos.
Toru Iwatani e sua pizza pac-man
A misteriosa fase 256
Pac-Man é importantíssimo pois acrescentou elementos narrativos aos videogames,  como nomes aos personagens e cut-scenes.
A polêmica versão do Atari VCS (2600). Reparem que devido aos flickers apenas um fantasma apareceu quando eu capturei a tela.